“A lua é o imenso relicário do céu, onde Deus todas as noites delicadamente nina a luz do dia.” (Lu Tostes)

quarta-feira, 4 de maio de 2011

A alegria das desesperanças


   (para Lia)



   Não culpe 
   a tempestade, 
   a idade, 
   o excesso de sono, 
   o olhar que não abriga.

   Não se acomode 
   na eterna espera 
   de quem, 
   aguardando um presente do acaso, 
   encolhe a vida. 

   Livre-se das esperanças 
   que, na promessa 
   de tons mais coloridos, 
   empobrecem e congelam 
   o momento. 

   Abra janelas
   para expandir o olhar...
   Flores frescas 
   crescem no jardim.
   Colha afetos!

   Desesperançar 
   só combina 
   com desesperar 
   na rima... 
   no mais, é puro recomeço.


   Lu Tostes










     Imagem: www.weheartit.com

2 comentários:

  1. Ai que lindo... fiquei aqui boboa olhando pro pc... muiito lindo, viu?

    vc não faz ideia de como seu poema me falou a alma, obrigada...
    vou tentar ver as flores fora de mim, tá? Vou tentar plantar flores por toda parte... prometo... e vou continuar tentando...

    bjos querida
    obrigada pelo carinho!

    ResponderExcluir
  2. "Não se acomode
    na eterna espera
    de quem,
    aguardando um presente do acaso,
    encolhe a vida."

    Caiu como uma luva...beijos Dna Lu!

    ResponderExcluir